Importância do teste do pezinho para saúde do bebê

Importância do teste do pezinho para saúde do bebê

Importância do teste do pezinho para saúde do bebê

O Ministério da Saúde destaca sempre a importância do teste do pezinho para saúde do bebê. O exame gratuito é obrigatório e deve ser realizado em todo e qualquer recém-nascido – preferencialmente, entre o terceiro e o quinto dia de vida do bebê.

Talvez você já tenha se perguntado o motivo pelo qual o teste do pezinho é feito no pé do bebê. Essa escolha é feita por ser uma região bastante irrigada do corpo, o que facilita o acesso ao sangue para a coleta da amostra. Em todo o mundo, a coleta do exame é realizada pela punção no calcanhar. Por isso, aqui no Brasil, é popularmente chamado de Teste do Pezinho.

Apesar de muitos bebês chorarem durante o exame. Por conta da picadinha no calcanhar, não é um exame que traz risco ao bebê.

Em sua versão básica, garantida pelo SUS, o teste do pezinho diagnostica quatro patologias metabólicas e genéticas. A Fenilcetonúria, o Hipotireoidismo Congênito, a Anemia Falciforme (e demais doenças do sangue) e a Fibrose Cística.

Em Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Paraná, São Paulo, Goiás e Santa Catarina o exame passou a identificar, desde maio de 2013, mais duas doenças. A Deficiência de Biotinidase e a Hiperplasia Adrenal Congênita (HAC).

Teste Avançado

Nos hospitais particulares, o cenário é outro: algumas instituições oferecem o tipo avançado do teste. Este é capaz de diagnosticar cerca de 50 enfermidades. “Entre elas estão a deficiência de acil-CoA desidrogenase da cadeia média (MCAD), que pode levar à morte caso a criança seja mantida em jejum por poucas horas. Também a doença de Pompe, um raro transtorno neuromuscular, para a qual já existe terapia de reposição enzimática. Mas que, se não tratada, leva à morte por falência cardiorrespiratória”.

Fonte: Ministério da Saúde

Importância do teste do pezinho para saúde do bebê

Deixe seu comentário ↓

Outros Posts

Leave a Comment

Leave A Comment Your email address will not be published