Dicas para levar seu bebê ou filho ao teatro

Dicas para levar seu bebê ou filho ao teatro

Dicas para levar seu bebê ou filho ao teatro

Outubro chegou! Com ele chega aquele calorzinho, as gripes e resfriados ficam para trás, vem feriado prolongado e dia das crianças, claro! E que tal aproveitar para levar seu filho ao teatro?

E eu, uma mãe moderna e antenada preocupada com as questões climáticas, consumo consciente, menos jogos eletrônicos e tantas outras preocupações do mundo contemporâneo bateu aquele apavoro do tal presente do dia das crianças! Como se a vovó já não estivesse tremendo de vontade de comprar um carrinho novo ou aquele brinquedo que viu na televisão! Confesso que para minha sobrinha já até garanti um presentinho! Mas nós que acreditamos no apego e vivemos questionando tudo bate aquela insegurança será que eu compro presente de dia das crianças pro meu filho? Por aqui, decidi que não.  Vou me orientar por aquele texto lindo que li em algum blog lindo dos dilemas da maternidade (chorei horrores, aliás) onde dizia que o melhor presente para o seu filho é estar presente!

Que tal uma programação cultural no dia das crianças?

Então que tal uma programação cultural em família? Sempre temos muitas opções para sair do convencional, e melhor, gastando pouco ou quase nada. As programações de outubro já começam a pipocar nos eventos do Facebook.  Pesquise nas redes se na sua cidade tem SESI e SESC, pois com certeza lá terá uma programação especial e de qualidade.

Mas aí você me diz: “Ah meu filho, não para quieto, morro de vergonha de ir ao teatro!” ou “Ele é muito pequeno para essas coisas.” ou “E se ele não assistir?” e “E se ele incomodar os outros?”.  Mas vamos com calma, pois sabemos que às vezes até aquela ida à casa da vovó é um tendéu não é mesmo?

Minha primeira vez

A primeira vez que levei meu filho ao teatro foi maravilhoso! Ele tinha 3 meses, dormiu uma boa parte do tempo oque no momento foi maravilhoso pois cochilei numa poltrona maravilhosa num ambiente escurinho, climatizado e ainda com um fundo musical ao vivo! Uhul! Já as últimas vezes ele agora com 2 anos a experiência tem sido mais complexa! Hahaha fomos a um concerto no Festival de Música e ele simplesmente amou descer as escadas encarpetadas do Ouro Verde ao som das Bachianas, no Filo ele narrou o espetáculo inteiro inclusive nos momentos mais silenciosos e ele dizia “mamãe” e lá pelos 20min de apresentação disse: “ casa mamãe, já tá bom.”.  Até acho que foi a primeira frase que ele formulou!

Coragem!  Ele vai adorar!

Não desista e não se preocupe se ele não souber te contar a dramaturgia do espetáculo, se não ficar sentadinho e aplaudir ao final ou se assistir apenas 5 minutos de apresentação. Esse código ele precisa aprender, afinal quantas vezes são necessárias falar “Não põe o dedo aí!”?!

A experiência teatral é complexa, têm sons, cheiros, imagens carregadas de significados e cada espectador apreende algo a partir de suas experiências anteriores; sensibilidade! E como sensibilizar alguém para compreender se ele nunca foi naquele lugar? Se a criança assistir 5 ou 30 minutos na primeira vez, ou na quinta vez, não importa!  O que importa é sensibilizar, educar, ensinar a se comportar naquele ambiente e carregar alguma impressão daquilo tudo.

Dicas para levar seu filho ao teatro

Manual de sobrevivência

Então para que o nosso mês das crianças seja lindo, eu vou dar umas dicas de mãe e produtora cultural para a sua experiência ser positiva!

– Leve seu bebê ou sua criança alimentado e de preferência descansado (aquele biscoito de polvilho no trajeto ajuda também);

– Não saia da rotina e segure a empolgação: “Filho vamos descansar, pois depois vamos num lugar incrível! No teatro! Vai ter isso, aquilo, é escuro, tem música, tem palhaço, tem ….-” ops “Tenho medo!”.  Ele vai pensar isso na hora!

– Se for a primeira vez, sentem-se no fundo, acomode seu kit salva vidas e dê um passeio pela sala de espetáculos com a criança no colo;

– As crianças de até 4 anos não devem pagar ingresso caso não ocupem cadeira (sentando-se no colo dos pais), mas se informe no local qual a regra;

– Atenção à indicação da classificação etária do espetáculo.  Muitas pessoas me perguntam “Se é livre, eu posso levar meu bebê?” ou “Se a classificação é 14 anos e meu filho tem 12, comigo ele entra?” Leia o release e verifique (eu leio até bula de remédio), pois se a produção estabeleceu alguma faixa etária é porque o espetáculo pode não ser interessante para outra faixa etária.  Classificação livre não é sinônimo de espetáculo infantil!

Partiu?

Agora bora empoderar nossas crianças de informação, diversão e sensibilidade? Vamos sim ao teatro, ao concerto da orquestra, cinema, show de rock, de jazz e batida de tambor!  Nestes casos, quanto mais melhor!

Londrina:

SESI cultura, agenda SESI Londrina, SESC

Rio de Janeiro:

SESI, SESC, FIRJAN

São Paulo:

Espaços Culturais SESI SP, SESC

Deixe seu comentário ↓

Outros Posts

1 Comment

  • 3 anos ago

    Laura, Adorei o texto …
    E sou a prova viva de que os perrengues vão passar. Minhas filhas, hoje uma com 11e outra com 9 sempre me acompanharam nos espetáculos de teatro, shows ao ar livre, circo, orquestra e tudo mais, hoje são minhas melhores companhias para isso, sobretudo por que a percepção peculiar das crianças me ajudam a compreender outros aspectos que as vicissitudes adultas tendem a obscurecer.

Leave a Comment

Leave A Comment Your email address will not be published