Conciliando maternidade e carreira

Conciliando maternidade e carreira

Conciliando maternidade e carreira

Texto de Melina Caldani

Trabalhar fora, empreender, permanecer com os filhos ou apenas dar um tempo. Está perdida em como conciliar maternidade e carreira? As mulheres são mães no auge do seu período produtivo e vice-versa. Essas são apenas algumas das decisões que muitas delas deverão tomar ainda com o bebê nos braços.

Não é sobre mães que não têm escolha, cujo único caminho é trabalhar fora e cuidar. Eu sei que é a realidade da maioria das mulheres e, sem esse recorte, um texto sobre esse tema pode machucar.

Percebi que, quando voltamos ao trabalho ou quando pensamos em voltar, nos confrontamos com dilemas como culpa e desejo, múltiplas funções, pouco apoio, ou mesmo a dificuldade diante de não se sentir inteira estando apenas mãe.

Questionamentos

Aí vem o inevitável da maternidade: quem eu estou? Como fazer para dar conta de atividades tão diferentes e importantes? Será que é possível ficar mais leve? Eu acredito que sim. Embora não tenha uma fórmula mágica, existem alguns ajustes que podem ajudar no processo de conciliar carreira e maternidade.

Trabalhe com o real. Se é uma necessidade, que ajustes você pode fazer ou reivindicar para contemplar suas necessidades como mãe?

Seja flexível. O mundo corporativo já tende a cobrar que mães produzam e se comportem como se não tivessem filhos. Então, seja a pessoa que se acolhe e não mais uma a se cobrar. Você não precisa ser alta performance em nenhum dos papéis. Você precisa ser suficiente em ambos. Acredite: você está fazendo tudo de forma incrível!

Delegue. Pratiquem os conceitos de parentalidade ativa, ou seja, pai e mãe compartilham ônus e bônus de ter filhos! O pai também pode assumir as vacinas, o pediatra, a reunião na escola, a lancheira e, tenha certeza, pais fazem isso muito bem.

Tente se integrar a uma rede de apoio, seja ela familiar ou não.

Organize o tempo e o espaço. Esteja disponível para o trabalho no tempo do trabalho. Se você é empreendedora, estabeleça esse parâmetro. Acima de tudo, seja a primeira a respeitar esse limite.

Reavalie

Se algo não está legal e você tem possibilidade, reveja sua rota: reavalie onde você está, onde quer chegar. Sua vida familiar e de carreira precisa ser sustentável. Só assim você conseguirá conciliar maternidade e carreira.

Trabalhar fora nem sempre é uma obrigação. Pode ser uma realização – e tá tudo bem! Ao nos tornarmos mães não perdemos todas as outras identidades que nos compõem. Eu, Melina, servidora pública e doula, mãe de 3 crianças, amo trabalhar fora, adoro colocar meu conhecimento à prova, produzir para o mundo por meio do meu cargo e das minhas paixões e amo cuidar dos meus filhos. Eu me sinto uma pessoa melhor estando no caminho complexo de buscar equilibrar muitos “eus”.

Jamais se justifique pela sua escolha ou necessidade de trabalhar fora (ou de não trabalhar fora). Trabalhar fora ou exclusivamente maternar são partes de quem somos e não definem nosso amor ou a qualidade do nosso cuidado.

Vamos aproveitar o tempo fora para tomar café e usar o banheiro com calma antes de voltar para abraços estabanados e saudosos!

É certo que ainda precisamos de muitas mudanças estruturais e de pensamento para que conjugar maternidade e carreira ganhe sentido de realização ao invés de conflito. Por mais que se discuta, ainda temos dificuldade em encontrar conforto nessa posição – em parte, porque estamos norteando o tema com foco na mulher como principal responsável pelos cuidados. E, sendo assim, não poderia concluir de forma diversa: pais, vamos reivindicar, também, viver em equilíbrio “paternidade e carreira”?

Deixe seu comentário ↓

Outros Posts

Leave a Comment

Leave A Comment Your email address will not be published